Férias escolares - como entreter as crianças?

Férias escolares: como entreter as crianças?

Veja algumas brincadeiras, comidas e atividades para divertir a molecada.

Os tempos mudaram, mas uma coisa ainda não mudou: as férias escolares. Todo ano, os pais precisam se organizar de alguma forma para conseguir dar conta da energia dos filhos em fase escolar e em período de recesso das aulas, já que a rotina diária muda completamente e não é possível deixá-las sozinhas.

Hoje em dia, essa tarefa ficou relativamente mais fácil com a Internet e com a popularização do trabalho remoto, os quais possibilitam que até mesmo os pais  – que antes tinham como única opção trabalhar fora e voltar para casa no fim do dia – passem também a dividir com as mães o momento de cuidar dos filhos que estão de férias.

Logicamente, essa não é realidade de todos os brasileiros, mas neste artigo você verá algumas dicas de brincadeiras, comidinhas e ideias para entreter a criançada além dos dispositivos eletrônicos. Eles também são considerados como opções, mas com certa parcimônia. E lembre-se: qualquer pessoa, independente da disponibilidade, pode usar dessas dicas.

1. Inserir a criança no planejamento das férias

Durante as férias, existe uma tendência de falta de horários para as atividades, já que a rotina se modifica. Isso pode gerar desorientação para a criança, especialmente as mais novas. Com isso em mente, é essencial que os pais criem uma rotina mesmo nas férias, para que a criança crie a noção de gerenciamento de tempo de forma constante.

Portanto, faz sentido envolver os filhos no planejamento das férias, mesmo que a família não vá viajar. No entanto, isso não significa obedecer os desejos do filho, mas sim ensinar noções de responsabilidade. Vale lembrar também que não é bom forçar a criança a viver uma rotina diária de tarefas, sem poder aproveitar o tempo livre de fato. O importante é ter equilíbrio.

2. Férias no SESC

Em todas as unidades do SESC são oferecidas pequenas colônias de férias com duração de cerca de duas semanas, nas quais as crianças entram no período da manhã e voltam para casa só no final da tarde. Essa, com certeza, é uma ótima opção para os pais que trabalham o dia todo e não conseguem fazer trabalho remoto.

Em especial, essa opção funciona muito bem para quem é comerciário, já que esse é o pré-requisito para participar da colônia de férias do SESC. Algumas outras profissões como publicitário, por exemplo, também são conveniadas com o SESC e possibilitam esse tipo de colônia para os filhos. Antes de tudo, é importante conferir com a unidade SESC da sua cidade sobre o programa de férias.

3. Passeios ao ar livre

Passear nas férias é uma atividade fantástica. Seja aos finais de semana ou não, ir ao zoológico, ao bosque, parques ou praças anima muito as crianças, além de ser um programa saudável e que movimenta o corpo e a mente.

No entanto é bom se organizar com uma certa antecedência para saber, no caso de zoológicos por exemplo, se existe um guia que pode ajudar a informar o nome e as características dos animais.

4. Cursos de férias

Esse vai na onda das colônias de férias do SESC, mas envolve outras instituições e locais. Em algumas cidades, as prefeituras organizam pequenos cursos de férias para crianças e adolescentes, que ensinam atividades como desenho, pintura, coral, teatro, fotografia, entre outras.

Além disso, se a sua cidade possui um shopping center, procure se informar sobre os cursos de férias para os pequenos. Muitos shoppings oferecem cursos de culinária, desenho e fotografia como opções de entretenimento. Busque mais informações e inscreva seus filhos com antecedência para aproveitar essa oportunidade.

5. Brinquedos antigos

Lembra daqueles brinquedos e brincadeiras da sua infância? Talvez seja o momento de aproveitá-los com o seu filho. Futebol de botão, empinar pipa, jogar pião ou peteca, bolinha de gude. As opções são muitas e dá para divertir as crianças por um bom tempo.

Caso você não se lembre de como fazer uma pipa ou produzir algum desses brinquedos, lembre-se: existem diversos tutoriais na Internet para te ajudar.

6. Brincadeiras de rua

Também existem as brincadeiras de rua que não exigem muitas coisas: jogar bets, pular corda, brincar de pique-esconde, polícia e ladrão, pega-pega, pique-bandeira, amarelinha, futebol de rua, com aqueles gols feitos com chinelos, esconde-esconde, adoleta, queimada. São tantas brincadeiras que seu filho provavelmente não vai nem ver o tempo passar, especialmente se a turminha da vizinhança for unida.

Procure incentivar seu filho a brincar com os amigos do bairro ou do condomínio. Faça amizade com os pais das outras crianças e seja bastante receptiva(o) com as crianças para ajudar fortalecer os laços de amizade do seu filho.

7. Prepare um desfile de moda ou um show de rock

Essa brincadeira é pra lá de divertida. Ajude seu filho ou filha a criar um desfile de moda ou um show de rock. No primeiro caso, você pode utilizar as roupas da criança ou suas mesmo para fazer o desfile. Além disso, pode chamar os amiguinhos para organizar o evento juntos. Incentive a criançada a pensar em tudo: local, decoração, figurinos, passarela, trilha sonora, penteados, maquiagem (aquela específica para crianças).

A segunda opção exige um pouco mais de trabalho. Você pode ajudá-los a montar pequenos instrumentos de madeira ou de plástico, caso não tenha instrumentos de brinquedo ou de verdade. A partir daí, basta criar o ambiente perfeito para um show de rock com iluminação, caixas de som, pedestal, figurino e até mesmo maquiagem. Não se esqueça: deixe eles criarem e fazerem tudo, só ajude no que for realmente necessário. No fim, é só aproveitar o show e bater muitas palmas.

8. Aprenda origami

Uma das artes orientais mais apreciadas no mundo todo, o origami é uma atividade relaxante e que estimula o cérebro dos pequenos. Também representa uma das melhores opções para dias chuvosos. Existem diversos tutoriais na Internet de como fazer a dobradura de animais e outras coisas. Com certeza, vai despertar a curiosidade das crianças, além de ser uma ótima atividade até mesmo para os adultos.

9. Brincar de cabana

Outra boa opção para os dias chuvosos é a de brincar de cabana ou barraca. A sala da casa ou do apartamento é a sua floresta e você pode montar um acampamento com seu filho. Essa atividade é ótima para estimulá-lo a querer acampar de verdade, algo que você pode fazer quando ele estiver um pouco mais independente e crescido.

10. Cozinhe sempre com a ajuda deles

Quando estiver preparando o almoço ou o jantar, chame seu filho para te ajudar. Aqui cabe um adendo interessante: cada idade costuma ter um tipo de atividade que pode ser mais segura e adequada na cozinha. Dos 3 aos 7 anos é a idade perfeita para amassar, misturar e lavar alimentos. Com 8 a 10 anos, já é possível começar a ensiná-lo como usar uma faca corretamente para cortar alguns alimentos de corte mais facilitado. Outro ponto muito legal em que ele pode ajudar é a pesagem e fracionamento dos alimentos, já que nessa idade o conhecimento matemático para medidas e grandezas está começando a ser desenvolvido e você pode ajudá-lo nessa área. Dos 11 em diante, o adolescente já pode ajudar muito mais na hora de cozinhar, cortando diversos tipos de alimentos, usando o fogão ou forno e ajudando na criação de novas receitas, o que estimula sua criatividade e imaginação.

É bom lembrar que todas as atividades devem sempre ser feitas com a supervisão de um adulto, no caso, você. Além disso tudo, você ainda ganha uma mãozinha na limpeza e organização da cozinha.

11. Faxina geral

Naturalmente as férias se tornam um período também de organização da casa. Combine com o seu filho que ele faça uma faxina no quarto dele, descartando tudo o que já está velho e não vai mais ser utilizado por ele. Neste caso, você dar uma recompensa como um brinquedo novo ou um dinheiro para uma saída com os amigos, no caso dos mais velhos.

12. Prática de esportes

Os mais velhos já têm uma boa noção dos esportes que mais gostam. Incentive-os a praticar esses esportes favoritos e torná-los um hábito para além dos dias letivos. Ou seja, uma atividade tão divertida e prazerosa para eles que até mesmo nas férias eles vão querer praticá-la.

13. Leitura

Se o seu filho ainda não estiver na idade de leitura, pegue livros e leia para ele, conte histórias, crie histórias com ele. O importante aqui é estimular bastante a imaginação do pequeno. A partir da idade de leitura, compre livros que sejam focados na idade dele. Outra boa opção para os que estão começando a ler são os gibis que facilitam a leitura. Esse estímulo é essencial para que os livros sejam algo familiar para ele e a leitura seja uma atividade prazerosa.

14. Jogos musicais

Brincadeiras de ciranda, dança circular, Qual é a música?, músicas folclóricas, rimas, versinhos, break dance, entre outras são ótimas opções para criar o senso de ritmo, melodia e harmonia nas crianças, especialmente as mais pequenas. É importante usar da música para criar conexões emocionais e afetivas. As músicas cantadas nas férias vão acabar se tornando as músicas da avó, do tio, da prima, etc.

15. Ócio criativo

Essa aqui é uma dica que vai contra a ideia de atividades para fazer. Lembre-se de também deixar seus filhos quietos, sem nada para fazer e entediados. O tédio é um ótimo combustível para a criatividade e para criar coisas novas e originais. Deixe seu filho aproveitar o tempo livre sem atividades e rotinas cheias de coisas a fazer. A ideia aqui, como em outras dessas dicas, é saber encontrar o equilíbrio de ócio e da rotina de tarefas.

16. Jogos eletrônicos

Deixamos essa dica para o fim porque, afinal, é uma das atividades preferidas dos jovens atualmente. Proibir aqui não é o caminho certo. O ideal é limitar o uso de computadores, tablets, celulares e videogames durante as férias para que as crianças e adolescentes não façam apenas isso. Em especial para crianças menores de 10 anos, o uso de eletrônicos deve ser bastante restrito. Isso porque, segundo algumas pesquisas, o uso frequente desse tipo de dispositivos pode afetar o desenvolvimento do cérebro e da cognição. Essas pesquisas ainda estão sendo comprovadas e debatidas na comunidade científica mas, de qualquer forma, é bom evitar o uso excessivo.

O mais importante de todas essas dicas é que os pais compreendam que, no período das férias, as crianças e adolescentes têm mais energia do que nunca e é preciso direcionar essa energia para atividades que não só divirtam como ensinem novas habilidades.

 

Fontes:
•Epoca.globo.com
• Meliuz.com.br
• Claudia.abril.com.br

Deixe uma resposta