Fiador profissional: um risco que é bom evitar.

Fiador profissional: um risco que é bom evitar.

Entenda mais sobre esse tipo de serviço e porque não se trata de uma boa opção para aluguel.

Se você está buscando um imóvel para locação com certeza já ouviu o termo fiador nas negociações com a imobiliária. Neste caso, provavelmente você também já sabe da dificuldade que é encontrar um fiador de confiança entre familiares e amigos para conseguir iniciar o processo de aluguel. Essa é uma das grandes barreiras do inquilino/locatário, já que o processo não costuma ser tão simples. Mas vamos por partes:

O que é exatamente um fiador?

Um fiador é uma pessoa física ou jurídica responsável por garantir o pagamento do locatário em um contrato de aluguel de imóvel. No caso de não pagamento por qualquer que seja o motivo, o fiador assume integralmente a dívida e o proprietário/locador não deixa de receber sua parte. Atualmente, é uma das formas de garantia de locação mais utilizadas no Brasil, já que é uma das mais baratas entre as principais opções.

Algumas das exigências das imobiliárias para que alguém seja fiador do imóvel são:

• Normalmente, que o fiador seja da mesma cidade do imóvel que será locado.
• Que o fiador tenha patrimônio, de preferência um imóvel registrado em seu nome.
• Quando o fiador é pessoa física, exige-se que a renda do fiador seja de, pelo menos, 3 vezes o valor do aluguel mensal, já contando os encargos (IPTU e condomínio).

Como conseguir um fiador?

Conforme já afirmamos, tem sido cada vez mais difícil encontrar um fiador de confiança para fechar o contrato de aluguel. Por isso, muitos locatários têm recorrido a uma prática diferente e que ainda é pouco conhecida: o fiador profissional ou fiador de aluguel.

O GRANDE PROBLEMA está justamente aqui: um fiador profissional pode não ser de confiança e alguns podem ser até estelionatários. Existem pessoas que se oferecem como fiadores profissionais para fornecer as garantias exigidas pelas imobiliárias para fechar um contrato. No entanto, eles oferecem essa garantia como um serviço prestado para o locatário.

O que acontece na prática, é que esse tipo de fiador recebe um valor em troca de apresentar seus documentos junto à imobiliária. Porém, ele o faz para diversas pessoas e talvez não dê a devida importância à responsabilidade que assume. Como não existe nenhum ônus sobre o bem apresentado ou nenhum rastro de que ele é fiador de outras pessoas (a imobiliária conseguiria detectar algo estranho apenas pela quantidade de pesquisas feitas em seu CPF), o fiador se apresenta para fiar inúmeros locatários. Agora imagine se todos passarem a dever ao mesmo tempo. O que aconteceria?

O locador e/ou a imobiliária seriam muito prejudicados pois ficariam sem garantia nenhuma. Por esse e outros motivos, a lei permite que o locador ou imobiliária aceite ou negue o cadastro do fiador.

Para você ter uma ideia, já houve casos em que o fiador profissional, com os valores levantados de cada locatário, comprou e registrou rapidamente um imóvel em seu nome para fazer com que a imobiliária acreditasse na sua condição de proprietário de imóvel, apresentando também os outros documentos exigidos por ela.

Depois dos contratos assinados, o fiador profissional vendeu o imóvel que foi apresentado como garantia das locações e desapareceu com o dinheiro de todos os locatários. Neste caso, se eles faltarem com suas responsabilidades de pagamento, podem responder criminalmente pelo golpe, já que o fiador não existe mais para arcar com as despesas.

Como evitar esse tipo de situação?

Se você é locador, realize buscas aprofundadas no CPF do fiador, tais como SERASA, SPC e nos cartórios de registro de imóveis. Também procure saber quantas vezes foram emitidas certidões atualizadas da matrícula do imóvel que está sendo apresentado como garantia. O número de consultas ao CPF pelo Serasa e a quantidade de emissões de matrícula dão um forte indicativo de um fiador profissional.

Se você é locatário, não procure ou aceite propostas de nenhum tipo de fiador profissional, de qualquer natureza. Isso porque, na maior parte dos casos, esse tipo de serviço é extremamente arriscado, já que não existe nenhuma garantia de que a documentação apresentada pelo fiador profissional seja realmente original.

A melhor opção para quem realmente não possui um fiador e não quer se arriscar, é contratar algum tipo de fiança imobiliária. Como já mencionamos em um de nossos textos anteriores, o locatário possui uma série de possibilidades como Credipago, seguro-fiança, título de capitalização, cheque caução.

O Seguro Fiança, por exemplo – que é uma das melhores opções no mercado – funciona de certa forma como um seguro de carro. A empresa responsável analisa o cadastro de crédito do contratante e dá a opção de ser a fiadora no contrato de aluguel.

É importante que o interessado em realizar um contrato de locação de imóvel entenda que contratar um fiador profissional não deve ser considerado como opção na hora de alugar uma propriedade por meio de uma imobiliária. Como falamos, existem outras opções confiáveis e que evitam dores de cabeça, tanto para o inquilino quanto para o proprietário.

 

cta-credipago

Fonte:
• Lopes.com.br/blog

Deixe uma resposta