A mulher e o Mercado Imobiliário

O mercado imobiliário mudou e passou a ter a presença forte das mulheres. Entenda o porquê.

 

Estamos em 2018. É inegável que as mulheres conquistaram muitos espaços de trabalho que antes não eram abertos para elas. E o mercado imobiliário com certeza é um deles. Apesar da presença ainda muito forte dos homens como corretores imobiliários, diretores de imobiliárias e responsáveis pela construção civil, as mulheres hoje já adentraram consideravelmente nestes ambientes.

Para se ter ideia, de acordo com o Ministério do Trabalho e Emprego, entre 2007 e 2009, a construção civil viu um aumento de 44,5% na contratação de mulheres. Hoje, a estimativa é de que mais de 200 mil mulheres trabalhem na área, de maneira formal ou autônoma. No caso das corretoras, o número é ainda mais animador: no Brasil, a participação das mulheres corretoras representa 48% dos profissionais da área em atuação. Em 1995, as mulheres representavam apenas 8,3% dos corretores de imóveis do país.

É interessante observar como elas ganharam espaço e se tornaram bem-sucedidas profissionais nos diferentes setores do mercado imobiliário em um relativamente curto espaço de tempo, mostrando ótimo desempenho e ganhando destaque entre corretores. Pode-se dizer que o segredo é muita disciplina, empenho e dedicação individuais, características muito comuns e culturalmente desenvolvidas pelas mulheres e que ajudam consideravelmente nesse processo.

Dentro de todas essas mudanças e evolução do cenário imobiliário, é importante enxergarmos como essa revolução começou lá atrás, no meio do século XX.

 

A participação da mulher no mercado imobiliário

Basicamente falando, as mulheres eram proibidas de trabalhar como corretoras de imóveis até 1958, pois até este ano, existia um artigo no Código Comercial Brasileiro – o artigo 37 – que proibia as mulheres de atuar como corretoras de imóveis. A partir deste ano, houve uma abertura do mercado a qual possibilitou que elas trabalhassem na área e mostrassem todas as características que proporcionaram o reconhecimento que hoje elas possuem.

Tecnicamente falando, faz apenas 60 anos que as mulheres têm permissão oficial para trabalhar na área e neste pouco tempo elas conquistaram um sucesso bastante grande. E essa afirmativa é apoiada pelo COFECI (Conselho Federal de Corretores de Imóveis), por exemplo, que apontou um crescimento de 144% na participação feminina na última década, segundo uma pesquisa deles.

Uma das pioneiras na área foi a corretora de imóveis Marly da Silveira Ferreira, que começou a trabalhar nessa área em 1976, e se tornou a primeira mulher a assumir a presidência do também pioneiro Sindicato dos Corretores de Imóveis do Município do Rio de Janeiro. Esse sindicato, fundado há 78 anos, surgiu antes da regulamentação da profissão de corretor de imóveis e teve presença fundamental na criação de outras entidades, como os Creci’s, o Cofeci e a Fenaci.

 

A competitividade no mercado

É importante deixar claro que  trabalhar como corretora não é algo fácil e simples. Trata-se de um mercado difícil e bastante competitivo, já que a concorrência é grande e muitas vezes desleal. No entanto, as corretoras costumam vender mais, pois são mais sensíveis na hora de fazer o atendimento e prestam mais atenção aos detalhes emocionais. A mulher tem mais facilidade de enxergar a vida do outro, se coloca mais facilmente no lugar da outra pessoa e isso facilita a negociação e fechamento da venda.

A competitividade existe também dentro do próprio mercado. Apesar de ser negativo, muitos homens se sentem ameaçados quando encontram mulheres muito competentes trabalhando como corretoras. O que acontece, muitas vezes, é um boicote com essa profissional. É óbvio que estas são as exceções, mas isso pode ser um entrave em alguns casos, pois a profissional começa a perder oportunidades de vagas em plantões ou acessos a clientes que poderiam comprar com ela.

Com esse tipo de situação acontecendo, as mulheres já estão bem mais ligadas e têm estudado muito para se aprimorar e vender cada vez mais. Esse definitivamente é um ponto importante da performance de homens e mulheres, mas elas estão correndo mais atrás de conhecimento. Isso naturalmente melhora o desempenho delas e proporciona uma carreira de mais sucesso.

Existem alguns caminhos para se tornar uma corretora ou corretor de imóveis, obtendo o registro oficial. São eles:

>> TTI (Técnico de Transações Imobiliárias);

>> Curso Superior de Tecnologia em Negócios Imobiliários;

>> Curso Superior de Gestão em Negócios Imobiliários;

>> Pós-graduação em Negócios Imobiliários.

E é preciso ficar ligado e sempre buscar atualização profissional, já que o mercado é bastante dinâmico.

 

Diferenciais do atendimento da mulher corretora

Como já apontamos acima, as mulheres possuem uma atenção especial aos detalhes e ao lado emocional da negociação. Isso ajuda muito na hora de fechar negócios. Mas existem outros diferenciais também como, por exemplo, a imaginação e criatividade para solucionar o problema na hora de uma venda ou de alugar um imóvel para um cliente. Elas costumam ter maior facilidade na hora de indicar uma reforma ou um novo uso para um cômodo que o cliente não gostou tanto e dão ótimas dicas de decoração, muitas vezes melhores do que as dos homens.

Outro ponto importante é que elas conhecidas por serem muito comunicativas e isso está sendo visto como um ponto extremamente positivo. Devido à postura aberta, proativa e sincera com que as mulheres trabalham as relações com os clientes, a comunicação fica mais clara e consequentemente o atendimento ganha mais qualidade. Além disso, essa facilidade na comunicação ajuda a construir o networking na área.

Por último, é interessante notar que mesmo com toda a evolução das últimas décadas, a inserção maior da mulher no mercado imobiliário e com a aceitação dos clientes, ainda existem muitos desafios e diversas barreiras a serem rompidas pelas mulheres no mercado de trabalho, em especial no imobiliário. Porém, guerreiras que são, com jornadas duplas e às vezes triplas (trabalho, casa, maternidade), essas leoas estão mostrando que vieram para ficar.

Esse artigo é uma homenagem à vocês, mulheres do mercado imobiliário, pelo seu dia. Feliz dia Internacional da Mulher.

Representação da Força da Mulher no Mercado Imobiliario

 

Fontes:

https://constructapp.io/pt/precisamos-falar-sobre-a-presenca-da-mulher-na-construcao-civil/

https://estadodeminas.lugarcerto.com.br/app/noticia/noticias/2016/10/16/interna_noticias,49596/mulheres-representam-30-dos-25-mil-corretores-de-imoveis-atuantes-em.shtml

http://www.ingaia.com.br/mulheres-no-mercado-imobiliario-entenda-por-que-elas-vendem-mais/

2 comentários

Deixe uma resposta