6 dicas rápidas que você precisa saber sobre casas para alugar

O processo de alugar um imóvel para muitos parece começar no momento de assinar a papelada do contrato e buscar um fiador como garantia na hora de alugar o imóvel. No entanto, alugar uma casa, por exemplo, demanda uma série de cuidados para evitar dores de cabeça futuras.

Para evitar um mau negócio é preciso dar atenção a alguns detalhes que muitas vezes podem passar despercebidos. Exatamente por isso, é extremamente importante, que o inquilino conheça muito bem seus direitos, deveres e obrigações. Além disso, é essencial que o inquilino também tenha muita certeza do que está escolhendo.

Muitas vezes o imóvel que você quer alugar está localizado em um bairro desconhecido, por exemplo. Ou os vizinhos da casa ao lado são mais velhos e querem silêncio o tempo todo. Ou o vizinho da casa de trás possui uma bateria e toca sem parar durante o final de semana inteiro. A casa pode estar mais velha e com a infraestrutura um pouco gasta. São pequenas coisas que precisam ser observadas na hora de alugar uma casa.

Por isso, antes de tomar a decisão de alugar um imóvel e fechar um contrato mais longo, confira 6 dicas que merecem sua atenção:

1- Preço de mercado (Imobiliárias de Confiança)

É preciso ficar muito atento a esse ponto já que, eventualmente, o proprietário ou o responsável podem cobrar um preço acima do praticado pelo mercado no geral.

Por isso, uma ótima ideia é fazer uma pesquisa de preços dos imóveis utilizando site para aluguel de casas antes mesmo de visitar o imóvel. Essa é uma prática muito comum de quem já tem mais experiência com compra, venda e aluguel de imóveis.

Outra boa solução é procurar uma imobiliária de confiança que naturalmente será capaz de fazer uma avaliação correta do imóvel que você deseja. Se o imóvel for da própria imobiliária, a probabilidade de que esse preço já esteja correto é bastante alta se a imobiliária for realmente de confiança. Isso porque a imobiliária conhece bem a região, faz o levantamento e uma análise criteriosa antes de colocar o imóvel para aluguel para garantir um valor de aluguel justo – nem abaixo nem acima do preço de mercado – para o proprietário, para o inquilino e para ela mesma.

2- Detalhes do contrato são importantes

Todo mundo já sabe que contratos precisam ser lidos antes de serem assinados, mas pouca gente realmente lê o contrato por completo, para saber se os direitos mínimos do locatário estão sendo respeitados, entre outras coisas. Os detalhes são importantes e fazem toda a diferença na hora de fechar o contrato.

Por isso, até mesmo os pequenos detalhes precisam ser avaliados antes de você assinar o contrato:

>> Qual é o tempo mínimo e máximo de duração do contrato?

>> O que acontece se eu ou o proprietário quebrar o contrato?

>> Quais animais de estimação posso ter na casa? Quantos e de qual tamanho?

>> Posso mudar a aparência da casa? Se sim, o que acontece quando eu for sair do imóvel?

>> Que tipo de depósito será cobrado de você?

>> O que está incluído no seu contrato de aluguel, no valor que você está pagando?

>> Como funciona os consertos/reparos? Quem fica responsável?

>> Para reparos de emergência, o que eu preciso fazer?

3- Confira se o bairro se encaixa na sua rotina, antes de alugar um imóvel

Já parou para pensar que sua rotina muda totalmente a forma como você enxerga seu bairro? É ela quem determina o que você realmente pode aproveitar em um bairro, na verdade. Para quem vive em grandes metrópoles, avaliar o deslocamento necessário para chegar ao trabalho, por exemplo, é parte importantíssima do processo de escolha do imóvel a ser alugado. Alugar uma casa que saia muito do raio do trabalho ou morar em uma república que seja muito longe da faculdade pode causar transtornos para o futuro inquilino, com relação à correria e à logística para chegar a esses pontos comuns do dia a dia.

4- Avalie a segurança

Esse ponto, na verdade, tem muita relação com o ponto da escolha do bairro pela logística, mas tem um outro ponto focal: a segurança. Chegar tarde do trabalho ou da faculdade sozinho – especialmente se você estiver caminhando – não é algo muito seguro na maior parte das cidades brasileiras, sejam elas metrópoles ou não.

É importante avaliar se o bairro possui alguma delegacia de polícia ao investir em um imóvel, por exemplo, o que já ajuda no quesito segurança. Outra coisa é avaliar se existe movimento de comércio durante o período noturno, o que pode diminuir a presença de assaltantes, já que há mais pessoas na rua até muito mais tarde da noite.

Avalie também se a casa está localizada em um lugar com boa iluminação, e já possui um sistema de câmeras de segurança, cerca elétrica, entre outros pontos de segurança.

5- Vistoria para alugar

Lembre-se: a vistoria geralmente é feita com a sua presença apenas na hora de sair do imóvel. Então, ao pegar o laudo de vistoria inicial, faça a conferência detalhada do mesmo e, caso encontre algo em discrepância, anote e chame a imobiliária antes de realizar sua mudança! Esse é um dos pontos que muitas vezes passam despercebidos pelo inquilino, já que a vistoria é indispensável para evitar problemas futuros para ambas às partes.

Analise cuidadosamente cada ponto do laudo de vistoria, como eles estão descrevendo o estado de conservação em que se encontra o imóvel.

6- Feira de rua, bairros e imóveis

Verifique se a casa está situada em um bairro que possui uma feira de rua por perto, de preferência não na sua rua, já que pode atrapalhar consideravelmente sua locomoção, caso você utilize um automóvel, por exemplo.

Mas também existe um ponto positivo que deve ser bastante considerado: ter uma feira perto de casa facilita muito as coisas na hora de comprar alimentos e utensílios domésticos, o que é essencial para quem vive em grandes metrópoles.

Conclusão

Informe-se bastante e procure usar seu bom senso antes de fechar seu contrato de locação de uma casa. Se você alugar por uma imobiliária, converse com o corretor que o está atendendo e faça todas estas perguntas. Encontrar um lugar seguro e agradável é importante, mas o processo é longo e exige bastante atenção.

Gostou do artigo? Veja também o nosso último artigo: 
Qual a melhor forma de investir em um imóvel

Um comentário

Deixe uma resposta