Comprar ou Alugar? Qual a melhor opção nesse momento para você?

Descubra o que você precisa avaliar na sua vida para determinar qual das duas opções é a mais indicada.

Comprar ou alugar é uma das grandes dúvidas da sociedade brasileira em geral. Muita gente ainda convive com aquelas frases do pai e da mãe na cabeça dizendo: “invista em um bom imóvel”, “a compra da minha casa foi uma das minhas maiores conquistas financeiras”, entre tantas outras do tipo. Mas e aí, será que comprar é melhor do que alugar?

Para responder essa pergunta, precisamos analisar alguns fatores como o atual estado do mercado financeiro e imobiliário brasileiro. Está valendo a pena por conta da queda da taxa de juros? Uma nova oferta de unidades? O crescimento do PIB?

Além disso, é preciso analisar também o seu momento de vida, naturalmente, para saber, por exemplo, se vale a pena morar de aluguel e acumular um valor em investimentos para comprar o imóvel mais tarde com menos parcelas ou até mesmo à vista.

Mercado financeiro e imobiliário

O momento em que vivemos é um momento delicado. As eleições presidenciais deste ano trazem uma instabilidade enorme aos preços de basicamente qualquer investimento no mercado, inclusive o de imóveis.

Isso porque os imóveis, no geral, possuem um valor mais alto e uma liquidez muito baixa, já que representam um investimento que costuma demorar para ser vendido, mesmo em épocas nas quais a economia está forte.

Aliás, o estado da economia é outro ponto que debilita o mercado imobiliário. Os últimos 4 anos foram de grande instabilidade econômica no Brasil. Um impeachment, uma série de promessas feitas e não cumpridas, perda de poder aquisitivo da população, queda na taxa SELIC, aumento da inflação. Parecia que as coisas não iam parar de piorar, mas pararam. E agora, estamos vivendo o momento de retomada econômica do país. Mas, essa retomada demora para surtir efeitos positivos, obviamente.

E mesmo tendo investido em um imóvel nessa época mais turbulenta, ainda é possível corrigir esse problema e evitar continuar pagando juros mais altos. Você pode pedir a portabilidade do financiamento em outra instituição.

É bastante comum migrar o financiamento para outro banco e negociar taxas de juros consideravelmente menores. E para evitar um financiamento com esse tipo de negociação novamente, vale a pena ler nosso artigo sobre algumas dicas de como financiar um imóvel.

O mercado imobiliário também apresenta um paradoxo: apesar dos últimos 4 anos terem sido bastante turbulentos na economia, os preços de imóveis atualmente estão quase estáveis. E, se a opção for realmente investir na compra, talvez possa ser um bom momento.

A explicação? O Índice FipeZap, que monitora o comportamento dos preços de venda de imóveis residenciais em 20 cidades, encerrou o mês de julho próximo ao índice de estabilidade.

Outra modalidade, a de comprar para alugar, também pode valer a pena se você fizer boas análises dos imóveis. Se a ideia não é fazer especulação imobiliária, comprar para ganhar dinheiro com o aluguel acaba se tornando uma boa opção, considerando a queda da taxa básica de juros, a Selic, e a retomada do poder aquisitivo da população de uma forma geral, mesmo antes das eleições.

A Selic, caiu de 14,25% para 6,5% ao ano, em 2018, ou seja, o cenário é positivo para que as famílias voltem a investir em moradias melhores, mesmo alugadas. E o investidor pode comprar com mais certeza mesmo considerando o risco de vacância, aquele tempo em que o imóvel fica sem inquilino, com taxas e impostos como água, luz, condomínio e IPTU sendo pagos pelo próprio investidor.

E se eu não tenho dinheiro agora para comprar, mas quero um imóvel?
Bom, neste caso, você tem algumas opções como:
Financiar o imóvel em um banco ou uma cooperativa de crédito
Guardar dinheiro e morar de aluguel até conseguir o valor para comprar o imóvel
Comprar fundos imobiliários

A 1ª opção você já conhece. É a mais comum de todas e mais divulgada para quem busca um imóvel residencial. A 2ª também muita gente já te contou, inclusive a gente. Mas a 3ª talvez não é tão comum e é um tanto quanto arriscada. Por isso, é preciso fazer uma análise apurada e com calma para investir certo.

No caso, para investir em fundos imobiliários você basicamente possui 2 opções: os fundos imobiliários de papel – um pouco mais conservadoras – que investem em LCI, LCA, CRI e CRA; e os fundos de tijolo, fundos que possuem imóveis físicos como, shoppings centers, edifícios empresariais e hotéis.

Os fundos de investimento representam uma ótima opção para quem busca um imóvel para investimentos apenas e não para morar. Se essa é realmente a sua intenção e seu momento de vida, comece a considerá-la e estudar sobre o assunto.

Mas para saber realmente se vale a pena comprar ou alugar um imóvel residencial, vamos fazer um exercício:

Imagine que você está interessado em um imóvel que custa R$ 450 mil e que você possui este valor para comprá-lo à vista.

Ao optar pela compra, você precisa analisar o custo de oportunidade, ou seja, qual a rentabilidade dos R$ 450 mil se colocados em uma aplicação financeira de baixo risco.

Geralmente dá para alugar outro imóvel com mais ou menos o mesmo espaço e localização por um valor menor do que a rentabilidade líquida mensal dos R$ 450 mil investidos. Um imóvel com aluguel de R$ 2.400,00/mês + R$ 100,00 de IPTU todo mês, por exemplo, te deixaria com R$ 2.000,00 a mais no fim do mês, se você investisse em um ativo com juros de 1%/mês.

Neste caso, vale a pena fazer o que? Obviamente investir o montante total, alugar uma casa por um valor menor do que a rentabilidade líquida mensal e continuar fazendo o seu dinheiro se multiplicar com o poder dos juros compostos.

Mas existem muitas outras nuances em cima desse assunto. A subjetividade de querer realizar o sonho da casa própria, ou a possibilidade de morar em um imóvel alugado por um tempo e logo depois buscar outros imóveis em outras cidades – algo bastante comum para os casais mais jovens, menos presos à uma cidade especificamente, já que o trabalho home office está ganhando espaço no mercado de trabalho.

Por isso, preparamos um guia super especial com detalhes sobre as vantagens e desvantagens de comprar ou alugar um imóvel. Porque é importante ressaltar: não existe, na verdade, certo ou errado nessa situação, existe uma confluência de fatores econômicos/sociais e vontade de quem busca um novo imóvel para morar.

Acesse http://soumais.guairaimoveis.com.br/comprar-ou-alugar-um-imovel e baixe agora!