o que fazer em santo andré

O que fazer em Santo André: os pontos turísticos para conhecer depois da pandemia!

Se você está procurando o que fazer em Santo André depois da pandemia, para já começar a planejar os roteiros, este post é todo seu! 


Localizada no Grande ABC Paulista, essa região metropolitana de São Paulo é bastante privilegiada. 

Além de contar com excelentes opções de hospitais e rodovias, os seus moradores e visitantes podem desfrutar de diversas comodidades — inclusive, aquelas voltadas para o lazer, turismo e entretenimento.

Com mais de 700 mil habitantes e um território de 175 km², a população pode encontrar diferentes opções de shoppings, lanchonetes, parques e, inclusive, alguns pontos voltados para a cultura e o conhecimento — como um dos planetários mais modernos do país!

Ou seja, caso você não saiba o que fazer no fim de semana, por exemplo, explorar essa região é uma excelente pedida. 

Para saber mais sobre esses atrativos, não deixe de acompanhar esse conteúdo e anotar as nossas recomendações!

*Vale lembrar que, devido a pandemia de COVID-19, o recomendado é ficar em casa e apenas planejar as próximas viagens.

Teatro Municipal de Santo André

A nossa primeira dica é exclusiva para quem adora cultura — o Teatro Municipal Maestro Flavio Florence. 

Inaugurado em 1971, o espaço foi todo projetado em formato hexagonal, com capacidade máxima para até 500 pessoas. 

Ao todo, são três palcos que podem ser usados simultaneamente, além de um fosso exclusivo para orquestra, que abriga 45 músicos.

Por conta de suas especificações, o Teatro Municipal é considerado um dos mais perfeitos tecnicamente do Brasil, sendo uma ótima alternativa para as famílias que gostam de frequentar peças, apresentações de dança ou, até mesmo, consertos diversos.

Outro ponto interessante é que, uma vez por lá, ainda será possível admirar uma obra de arte feita pelo botânico e paisagista Burle Marx, localizada no jardim do local. 

Simplesmente imperdível!

Rua das Figueiras

É difícil, para não dizer impossível, visitar Santo André e não marcar presença na Rua das Figueiras. 

O motivo? 

É nessa via em que estão localizados os principais pontos de comércio, composto por lojas dos mais variados segmentos — que vão desde o vestuário, até itens de beleza, negócios voltados para o setor moveleiro e por aí em diante.

Fora isso, a Rua das Figueiras é conhecida, em tempos normais, por ser um destaque na vida noturna de Santo André. 

À noite, a região abriga o movimento de bares, lanchonetes, padarias 24 horas, casas noturnas, espaços de festas e mais uma série de estabelecimentos próprios para reunir o público mais jovem e que adora um agito.

Devido a pandemia do COVID-19, grande parte dos estabelecimentos estão fechados, mas vale deixar salva essa dica para depois que isso tudo passar!

Sabina & Planetário Johannes Kepler

Temos aqui um passeio completo, para quem não tem tempo a perder. 

O Sabina e o Planetário Johannes Kepler são dois espaços construídos com foco no conhecimento. 

Subordinados à Secretaria Municipal de Educação de Santo André, ambos proporcionam ao público o entretenimento por meio de experimentos científicos e lúdicos, tornando a experiência extremamente divertida e enriquecedora.

O mais interessante, é que o Sabina é um projeto que também oferece suporte às escolas da região, oferecendo materiais fundamentais para que o ensino seja cada vez mais eficiente. 

No interior do complexo, encontramos o Planetário Johannes Kepler — perfeito para curtir uma projeção astronômica, surpreendente e encantadora.

Atualmente, ele é o único em território nacional que apresenta sistemas de projeção digital e ótico, capazes de funcionar de maneira sincronizada para reproduzir, aproximadamente, seis mil estrelas — com cores, brilho e cintilações muito similares aos naturais. 

Crianças e adultos costumam adorar esse tipo de passeio!

Praça do Carmo

Quer mais uma opção em Santo André

Visite a Praça do Carmo — a mais antiga da região. Construída em 1919, a sua história está diretamente ligada à Catedral. 

Na época, o terreno foi doado por Antônio Queirós dos Santos e, em seguida, o pároco Padre Capra, da Igreja Matriz, foi o responsável por lançar a “pedra fundamental”, dando início a sua construção.

Localizada bem na área central, a Praça do Carmo, hoje, também abriga uma Feira de Artesanato, uma forte tradição da cidade. 

Programadas para todos os sábados e domingos, elas são ótimas para comprar roupas, itens decorativos, acessórios diversos e por aí em diante. 

Você também encontrará opções gastronômicas incríveis se desejar fazer uma parada para um lanche.

Parque Central

Não são apenas os pontos de comércio e as áreas culturais que formam o universo de lazer em Santo André é feito. 

Além disso, há diversos parques excelentes para as famílias relaxarem, fazerem um piquenique no fim de semana, praticarem esportes ao ar livre ou, simplesmente, admirar a natureza.

Um deles, é o Parque Central — uma área ampla, de puro verde e extremamente tranquila. 

Ao visitá-lo, os turistas e moradores podem desfrutar de uma pista de corrida que ultrapassa os 2 km de extensão, sem contar as quadras de esportes, que são perfeitas para uma partida de vôlei, basquete ou futebol.

O diferencial é que esse espaço também conta com um palco, inaugurado em 1992, e que, desde então, vem abrigando apresentações diversas. 

Entre os artistas que já passaram por lá, podemos destacar Charlie Brown Jr e Vanessa da Mata. 

Se você também ficou interessado, procure acompanhar a programação pela internet e se organizar para os futuros eventos depois que tudo isso passar.

Parque Antônio Fláquer (Ipiranguinha)

Temos também o Parque Antônio Fláquer, popularmente conhecido como “Ipiranguinha”. Antigamente, o terreno pertencia à Tecelagem Silva & Seabra, que era responsável por utilizar a água do córrego “Ipiranguinha” em seus processos de produção.

Anos depois, o local passou por uma desapropriação, com o foco de construir uma praça completa e formada por brinquedos que foram doados pelo Rotary Clube. 

Tal urbanização ocorreu em 1959 e, desde então, esse local vem sendo utilizado para fins de lazer e descanso.

Chegar lá é fácil, já que existem boas opções de ônibus e, até mesmo, uma linha de trem. A entrada também é gratuita, com algumas opções de quiosques. Juntos, esses detalhes permitem que o público consiga se divertir sem precisar gastar muito.

Atenção!

Devido ao isolamento social, causado pelo Coronavírus, é possível que as programações de alguns pontos turísticos tenham sofrido alterações. 

Lembre-se: a recomendação é ficar em casa! Nossa ideia com esses conteúdos é que você comece a planejar e pensar em coisas legais para fazer quando tudo isso passar.

Conte para nós: gostou de descobrir o que fazer em Santo André e aproveitar o seu tempo livre da melhor forma possível? 

Caso tenha considerado as nossas dicas valiosas, aproveite para curtir também a nossa página no Facebook e acompanhar outros conteúdos exclusivos como esse. Será um prazer ter você mais perto!

Deixe uma resposta