Consórcio ou financiamento imobiliário: qual a melhor opção?

Consórcio ou financiamento imobiliário: qual a melhor opção?

Está com planos de conquistar a casa própria, mas ainda não decidiu entre consórcio ou financiamento imobiliário? Este post traz todas as informações necessárias para que você invista na melhor opção para o seu perfil. 


Não há como negar: um dos principais sonhos dos brasileiros é conseguir adquirir a tão esperada casa própria.

Muitos, inclusive, passam boa parte da vida batalhando por esse objetivo, que envolve um alto investimento e muitas etapas de negociação.

Durante esse processo, há quem enfrente o seguinte dilema: é melhor investir em um consórcio ou financiamento imobiliário?

Atualmente, essas são as alternativas mais praticadas no mercado, uma vez que, nem todo mundo, dispõe de dinheiro suficiente para quitar essa compra à vista. Ainda assim, são poucas as pessoas que, de fato, compreendem as minúcias de cada modalidade e as suas vantagens a médio e longo prazo. 

Se você também está nesse impasse, chegou o momento de solucionar todas as suas dúvidas e descobrir qual a solução ideal para o seu perfil. Por isso, o nosso time de especialistas trouxe algumas informações valiosas e que serão primordiais daqui para frente. Acompanhe!

Consórcio ou financiamento imobiliário: as principais diferenças

Certamente, a melhor opção de pagamento para adquirir uma casa é o pagamento à vista. Porém, sabemos bem que essa é uma realidade muito distante da maioria dos brasileiros, principalmente, em períodos econômicos turbulentos. 

Assim, as modalidades disponíveis para sair do aluguel o mais rápido possível são o consórcio ou financiamento imobiliário. E antes de definir qual a solução perfeita para o seu perfil, é interessante se aprofundar em cada uma delas. Vamos lá!

O que você precisa saber sobre o consórcio 

Para começar, que tal entender como funciona o consórcio de imóveis? Basicamente, essa opção é indicada para quem não está com muita pressa de se mudar e, mesmo assim, deseja adquirir o seu cantinho dos sonhos. 

Ao investir no modelo, você conseguirá parcelar o valor integral da propriedade, sem se preocupar com entradas. Entretanto, a única desvantagem está no tempo de entrega das unidades, que pode levar anos.

Mas afinal, como o consórcio funciona? Explicamos: em linhas gerais, a opção é feita por um grupo de pessoas, que se unem para realizar a compra de um patrimônio específico, como um imóvel. Logo, diante do interesse de todo o grupo, o consórcio consegue reunir todas as condições necessárias para a construção e entrega do empreendimento. 

E para que esse projeto seja eficiente, todos os participantes precisam contribuir mensalmente para um fundo especial, que é destinado à compra da propriedade. Tais pagamentos servem para custear a entrega das unidades até que cada envolvido seja, finalmente, contemplado. 

As duas opções 

A parte boa, está na possibilidade de ser contemplado pela carta de crédito de duas formas diferentes. Uma delas diz respeito ao sorteio do consórcio. Já a outra, envolve os lances fixos, embutidos e livres. 

Também é válido ressaltar que os participantes precisam, obrigatoriamente, estar com todas as parcelas em dia para que sejam premiados. O mesmo vale para os gastos com o fundo de reserva, taxas administrativas e o seguro prestamista. 

Lembre-se que todos os participantes estão sujeitos aos reajustes anuais do Índice Nacional de Custo de Construção (INCC), o que pode elevar significativamente o valor total do investimento.

O que você precisa saber sobre o financiamento imobiliário

Mas, é claro que não termina por aí. Em paralelo, temos o famoso financiamento imobiliário — a modalidade mais popular do momento é muito praticada pelas instituições financeiras.

Ao investir nessa opção, o banco responsável pelo processo realiza uma análise de crédito com o objetivo de garantir se o indivíduo tem condições de arcar com as suas obrigações mensais. 

Se o cadastro for aprovado, a instituição libera o crédito necessário para a compra do imóvel. Vale ressaltar que existem várias regras que envolvem essa alternativa, além de prazos e taxas de acordo com o valor que será liberado. 

Normalmente, os juros podem atingir até 4,5% ao mês. Por essa razão, é muito importante pesquisar bem e se planejar para ter certeza de que a sua negociação será um sucesso.

Caso você queira apostar nessa opção, ainda é importante conferir se o seu perfil cumpre todos os pré-requisitos impostos pelo banco.

O principal deles, é estar com a situação regularizada nos órgãos de proteção ao crédito, como o SPC e o Serasa. Fora isso, é necessário ter mais de 18 anos e não possuir nenhum outro financiamento em seu nome. 

Em relação ao pagamento, uma das principais queixas dos consumidores diz respeito ao tempo de duração das mensalidades. Em alguns casos, as parcelas podem levar até 360 meses, ou 30 anos, para serem quitadas, dependendo do contrato feito.

Somente após a quitação do valor em aberto, o imóvel será passado, de fato, para o seu nome e você será reconhecido pela lei como proprietário. 

Consórcio ou financiamento imobiliário: escolhendo o melhor

Agora que você já conhece melhor as alternativas disponíveis, deve estar se perguntando “qual a opção certa?”.

Nesse caso, afirmamos que tudo dependerá do seu perfil. Como vimos, ambas as modalidades contam com pontos positivos e negativos, que devem ser considerados ao máximo desde o início do planejamento. 

O segredo é traçar uma lista com os prós e contras de cada alternativa e compará-las com os seus desejos e necessidades do momento.

Considere, por exemplo, fazer uma simulação de financiamento em uma instituição financeira de sua confiança para checar se essa solução é viável no momento. Tal prática pode ser realizada, até mesmo, pela web, por meio dos sites dos principais bancos nacionais. 

Aqui, também é interessante saber que você poderá contar com o apoio de especialistas de mercado para saber como seguir o melhor caminho. Nessas horas, o consultor imobiliário é uma excelente saída, já que esse profissional conta com vasta experiência e, de quebra, conhece as principais regras do consórcio ou financiamento. 

Após esse conteúdo completo, esperamos que você tenha conseguido identificar a opção ideal.

Caso deseje continuar acompanhando outros materiais como este, aproveite para assinar agora mesmo a nossa newsletter e receber todas as notícias do setor imobiliário em primeira mão.

Nos vemos em breve!

Deixe uma resposta