consórcio imobiliário

Veja o que levar em consideração para escolher um consórcio imobiliário

O consórcio imobiliário é uma excelente opção para quem não tem condições de comprar um imóvel à vista. Mas, o que considerar nesta opção? Te contamos tudo neste post!

É raro encontrar um único brasileiro que não sonhe em ter a sua casa própria. Inclusive, muitos deles desejam adquirir o imóvel à vista, mas sabemos que essa não é a realidade de boa parte da população. 

Porém, nada de pânico! Como solução, você pode recorrer ao consórcio imobiliário

Nessa modalidade, um grupo de indivíduos se une para financiar um empreendimento, realizando o pagamento de parcelas mensais para uma administradora. 

Ao investir na opção, é possível aproveitar inúmeros benefícios, como uma taxa de juros menor e a possibilidade de ter as chaves do seu novo lar rapidamente. 

Assim, o que acha de começar a considerar essa ideia e entender, a fundo, como o consórcio imobiliário funciona? 

No post de hoje, vamos explicar o que analisar durante essa escolha e conseguir realizar os seus planos com total facilidade. Não perca!

Afinal, o que é o consórcio imobiliário?

No mercado, existem várias opções de consórcio. Há, por exemplo, o de automóveis e o de motos. 

Entre eles, também temos o consórcio imobiliário que, em linhas gerais, consiste em um grupo de pessoas que se unem para conquistar um interesse em comum a aquisição da casa própria. 

Como funciona

Nesse sentido, os participantes realizam pagamentos mensais para financiar a construção de um determinado empreendimento. 

Essa quantia deve ser previamente definida de acordo com o valor do crédito. 

Com isso, a cada mês, um indivíduo é sorteado com a famosa “carta de crédito”, documento encaminhado ao consorciado para que o mesmo consiga pagar o seu imóvel. 

Ao fim da modalidade, todos os integrantes devem ser agraciados com a quantia necessária para comprar a propriedade. 

Vale lembrar, que os consorciados ainda devem disputar nas mesmas condições em todas as etapas dos sorteios. 

Dependendo do consórcio imobiliário adquirido, também existe a opção do participante oferecer lances para antecipar a sua contemplação e obter a tão desejada carta de crédito em um prazo ainda mais curto. 

Já em outras situações, o usuário pode utilizar o seu Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para fazer lances ou, simplesmente, completar o crédito liberado. 

As vantagens do consórcio imobiliário

Como mencionado, não faltam vantagens para quem deseja investir no consórcio imobiliário pouca burocracia, segurança e menos juros são algumas delas. Abaixo, listamos outras que merecem ser consideradas:

  • o consórcio não possui taxa de juros, somente uma cobrança administrativa que é diluída ao longo das parcelas; 
  • não há a necessidade de dar uma entrada. O montante será parcelado integralmente; 
  • existe uma boa flexibilidade nos prazos. As administradoras mais atualizadas estão apostando em opções versáteis e que facilitam ao participante a escolha da alternativa mais adequada ao seu perfil; 
  • um dos principais pontos positivos do consórcio é a baixa burocracia. Em muitos casos, não há necessidade de comprovar renda, sendo uma ótima saída para autônomos ou profissionais informais; 
  • o consórcio imobiliário é seguro. Tais modalidades são fiscalizadas pelo Banco Central, instituição responsável por garantir os interesses de todos os consorciados. 

Como escolher o consórcio imobiliário ideal?

Agora que você já sabe o que é e quais são as vantagens do consórcio imobiliário, que tal descobrir o que analisar ao longo dessa decisão? Primeiramente, é necessário saber que essa opção costuma ter duração de até 15 anos. 

Logo, será necessário investir em um certo planejamento e, de quebra, também ser paciente com o sorteio da carta de crédito. 

Ou seja, é a solução indicada para aqueles que não estão com pressa em se mudar rapidamente. Fora isso, existem outros pontos que merecem atenção. Anote os principais deles. 

Fique de olho na taxa administrativa

O consórcio imobiliário não possui juros. No entanto, ele conta com a taxa de administração que deve ser considerada antes mesmo de fechar o contrato. 

Essa quantia pode variar dependendo da empresa. Entretanto, quanto menor for o valor cobrado, mais “em conta” será o consórcio. 

Nessa etapa, verifique não apenas esse detalhe, como também, o Custo Efetivo Total, ou CET, que serve para considerar os ônus englobados nessa negociação. Quanto maior for o CET, mais elevado será o contrato para o participante.

Verifique cada detalhe do contrato 

Por falar em contrato, você não deve deixar de ler com atenção cada linha do documento. Caso esteja em dúvida a respeito de algum termo ou informação, não assine. Em vez disso, procure o apoio de um advogado, de preferência, especializado no setor imobiliário. 

Veja também se a empresa responsável por administrar o consórcio se mostra incomodada com a sua atitude em pedir ajuda aos demais profissionais. Na maioria das vezes, esse posicionamento exige que o indivíduo considere e repense o acordo. 

Informe-se sobre a administradora 

Não há como negar que o consórcio imobiliário é um investimento e tanto. Até porque, essa negociação envolve altos valores e, por isso, é de suma importância que você saiba, muito bem, com quem está fechando esse acordo. 

Ainda no início do planejamento, é essencial fazer uma pesquisa detalhada e saber mais sobre a reputação das empresas que fazem parte dessa transação, como é o caso da administradora. 

Em uma rápida pesquisa no Google ou nas redes sociais, procure saber se os seus clientes já passaram por alguma dificuldade ou se a empresa deixou de seguir as cláusulas contratuais. 

Para ter ainda mais segurança, você pode conferir o portal do Banco Central, onde é possível checar um ranking com todas as administradoras de consórcio do país. 

Saiba quais são as consequências para os casos de inadimplência

Infelizmente, há situações em que, simplesmente, perdemos o controle sobre as nossas finanças. Esse cenário pode ocorrer por várias razões, seja devido ao desemprego, problemas de saúde na família e por aí em diante. 

E, querendo ou não, esse cenário também pode comprometer o pagamento em dia das parcelas do consórcio, levando o participante a ficar inadimplente. Diante disso, você precisará saber quais são as penalidades e condições de cada contrato em situações como essas. 

Algumas administradoras, por exemplo, possuem regras rigorosas, que vão desde multas até o risco de perder a carta de crédito. Portanto, todo cuidado é pouco!

Viu só? Com essas informações, esperamos que você consiga investir em um consórcio imobiliário que se enquadre em seu perfil. Em breve, temos certeza de que a sua casa própria estará a um passo de ser conquistada.

Se gostou e ainda possui alguma dúvida, aproveite para deixar o seu comentário abaixo — o nosso time de consultores terá prazer em te ajudar nessa missão!

Um comentário

Deixe uma resposta