Aluguel em São Paulo: entenda tantas variações

foto érea do centro sul, onde o aluguel em São Paulo também apresentou variação

O aluguel em São Paulo está mais caro? Para você que mora de aluguel ou está buscando um imóvel, provavelmente deve ter notado essa diferença.

A terra da garoa registrou em abril de 2022 o maior valor do preço do metro quadrado do aluguel de toda a série histórica, atingindo a marca de R$ 39,51 por metro quadrado.

Entretanto, se em abril teve aumento, em maio foi de baixa, após dez meses consecutivos de alta. Isso aconteceu logo após a cidade superar a média do preço registrado negociado antes da pandemia.

Diante de tantas variações seguidas, é normal que os moradores se sintam inseguros, por exemplo.

Por que o aluguel em São Paulo apresenta instabilidade?

A alta de 1,28% trouxe algumas consequências. Mais da metade dos bairros da cidade chegaram a superar a média do preço negociado antes da pandemia.

Entre os possíveis motivos para o aumento do aluguel em SP podemos destacar:

  • crescimento pela procura de aluguéis para temporada
  • buscas por estúdios e imóveis de um dormitório
  • alta no preço dos apartamentos de dois e três dormitórios

Isso mostra, entre outras coisas, uma retomada da atividade econômica e, claro, a volta ao trabalho presencial.

Só para se ter uma ideia, de acordo um estudo realizado pela consultoria KPMG, no primeiro semestre de 2021, 66% das empresas demonstraram interesse em retomar às atividades presenciais, e os 34% restantes este ano.

Então, tal movimentação indica um aquecimento do cenário, mesmo que não seja observado por toda São Paulo.

Em quais regiões o aluguel está mais caro?

O aluguel por metro quadrado já está muito mais alto do que o registrado no início do ano anterior. A marca foi o equivalente a 67% das localidades da capital paulista.

Os bairros estão localizados em diversas regiões, por isso não há indicativo de efeito homogêneo por toda São Paulo. De qualquer forma, o tamanho do impacto e o tempo de recuperação são diferentes.

Pinheiros e Vila Olímpia, consideradas zonas quentes de negociação, estão bem distantes da recuperação ainda.

Já as regiões do Tatuapé e Mooca já apresentavam sinais de retomada do preço médio do metro quadrado.

Agora, os bairros onde é mais fácil encontrar imóveis de apenas um dormitório, como Vila Clementino e Liberdade, só conseguiram retomar o fôlego nos últimos meses, quando a crise sanitária começou a estabilizar.

Como funciona o reajuste de aluguel?

Você já entendeu os motivos pelo qual o aluguel em SP está mais caro, certo? Mas e se te perguntassem como funciona o reajuste de aluguel, saberia explicar?

O reajuste de aluguel acontece, de modo geral, em todo aniversário ou renovação de contrato de locação.

Na prática de mercado, esta variação é calculada com base no Índice Geral de Preços Mercado (IGP-M), que é sempre divulgado pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

No entanto, o aluguel também pode ser reajustado de outros índices, como o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), por exemplo.

Na Guaíra você tem esta opção. Nossos corretores estão preparados para negociar no índice que for mais adequado para o inquilino.

Vamos ao exemplo. Se o índice apresentou aumento de 10% em um ano, para compensá-lo, o aluguel deveria subir 10% também. Neste caso, é feito um ajuste anual de aluguel.

Mas, claro, essas variações não necessariamente implicam na necessidade de repassar aos locatários o preço todo de uma vez. A divisão deve estar de acordo com as necessidades de ambas as partes envolvidas no contrato.

Por isso é tão importante que este ponto esteja muito bem especificado no contrato do aluguel, para que não tenha dor de cabeça futuramente. Afinal, as regras que estão ali estabelecidas podem ser renegociadas.

Então, quando o reajuste for necessário, os envolvidos terão tempo hábil para se adaptarem e evitarem problemas financeiros.


O que fazer do aumento do aluguel em São Paulo?

Diante do aumento do aluguel em São Paulo é normal que os locatários não saibam como negociar com um valor mais acessível.

Adiantamos, porém, que existem alguns fatores que costumam ser levados em consideração. O bom histórico de pagamento é um deles.

Então, se você é um locatário que mantém o pagamento em dia, suas chances de conseguir uma negociação são mais altas.

Como percebeu, o aluguel em São Paulo está passando por uma fase instável, de baixos e altos. Mas, ainda assim, não deveria ser um motivo para que você desista de encontrar um cantinho para chamar de seu. Conte com os corretores da Guaíra para encontrar o melhor imóvel para você.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.