Inflação do aluguel demonstra sinais de desaceleração

O ano de 2022 não vem sendo nada positivo para a economia brasileira. Alta inflacionária em diversos setores, com uma previsão de inflação para até 12%. E com a inflação do aluguel, essa realidade não ficou diferente.

Afinal, o principal índice utilizado para reajustes e negociações de aluguéis – o IGPM – bateu recordes de alta desde o ano passado. Porém, noticias recentes demonstram desaceleração e podem ser um folego para os inquilinos.

Inflação do aluguel vai desacelerar?

A resposta vai trazer alivio para quem mora de aluguel e no último ano, dependeu da negociação com os proprietários para manter o pagamento em dia. Afinal, o poder de compra do brasileiro só diminui cada vez mais com a alta inflacionária – que vem sendo mundial – e a forte crise econômica.

O IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado) é conhecido como a inflação do aluguel. Isso porque ele é o índice utilizado como parâmetro para reajuste dos contratos de locação. Em 2021, o saldo acumulado de 12 meses bateu impressionantes 32,02% de alta.

Nesse mesmo período do ano passado (abril), a alta estava em 1,74%. Nesse ano, o IGP-M subiu 1,41%. O acumulado de 12 meses está em 14,66%.

Especialistas do mercado afirmam que essa desaceleração seria ainda mais evidente, porém, foi diretamente impactada por outros aumentos – como o caso dos combustíveis (27,89%) e dos fertilizantes (10,45%).

Somente esses 2 setores, fizeram com que a inflação ao produtor chegasse a 60% em 2022, pesando para toda a cadeia e chegando ao consumidor. Entretanto, nem tudo são rosas, sendo preciso ficar de olho em outros índices que continuam em alta:

IPC, IPA e INCC seguem em alta

A inflação do aluguel demonstra sinais claros de desaceleração, mas é preciso observar como estão outros principais índices reguladores da economia:

  • IPA – o Índice de Preços ao Produtor Amplo, subiu 1,47% em abril, puxado pelas altas dos combustíveis.
  • IPC – Índice de Preços ao Consumidor teve uma alta expressiva, saindo de 0,86% em março, para 1,53% em abril.
  • INCC – Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) também demonstrou uma alta de 0,14% em relação ao mês anterior, fechando uma alta de 0,87%.

Somente o tempo e a situação inflacionária do Brasil e do mundo, mostrará se esse cenário de desaceleração da inflação do aluguel se manterá como tendência, aliviando o bolso de quem aluga.

Na Guaíra você tem a opção do IGP-M

Está precisando alugar? Apesar da maioria dos contratos ser firmada com o IPCA, aqui na Guaíra você tem a opção de usar o IGPM. Seja na negociação inicial ou na renovação, você pode escolher o como índice. Nossos corretores estão prontos para te ajudar a alugar o melhor imóvel com as melhores consições.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.